Saturday, April 7, 2007

Há 10 anos atrás - Parte II

Continuando...

Durante a festa do CNPq, entre uma caipirinha e outra, fui bater mais um papo com o Bob Williams que me perguntou se eu não gostaria de voltar para fazer um pós-doutoramento nos EUA e eu disse para ele que não e fui sincera dando minha opinião sobre a carreira nos EUA. Ele concordou que realmente a competição entre os americanos faz a vida muito estressante, mas me garantiu que haviam lugares em que o ambiente de trabalho era melhor, que a competição era vista apenas como um estímulo à ciência e que Baltimore era uma cidade rica culturalmente. Eu que já tinha viajado pelos EUA sabia que haviam boas cidades, tinha gostado muito de Boston e de Nova York, mas não tinha sentido calor humano, cultura no ar. Quando ele falou isto de Baltimore e do instituto, me lembrei que havia conhecido um outro astrônomo de lá, Claus Leitherer, que havia falado a mesma coisa.

Eu havia conhecido o Claus na ilha de Creta, na Grécia, quando fui a um congresso que ele organizou em 1995. Alguns meses antes do congresso, por coincidência, eu tinha mandado meu currículo para trabalhar em um projeto com ele, mas que eu não tinha muito experiência no assunto e quase certeza de que não conseguiria. Na Grécia ficamos amigos e ele me disse que realmente não poderia me contratar porque havia candidatos mais experientes. Mas já havia passado quase dois anos desde a Grécia e como o CNPq, que pagava o meu salário de jovem-doutor no Observatório Nacional, estava em mais uma crise financeira e ameaçava cortar meu salário pela metade, decidi levar em consideração as palavras do Bob e mandei um email para o Claus perguntando se ele não sabia de nenhuma vaga no instituto do Hubble que eu pudesse me inscrever. Ele imediatemente pediu o número do meu telefone e 5 minutos depois me ligou e me contratou. Mas primeiro ele deixou bem claro que existiria muita competição, que o trabalho seria puxado, mas que se eu estivesse disposta a enfrentar que ele me contrataria por 2-3 anos. Dois meses depois, no dia 23 de abril de 1997, eu embarquei para Baltimore.

5 comments:

GDBalista said...

Muito interessante!

Ivan Luís said...

Sensacional Duília :-) mal posso esperar para que isso vire um livro. Já estou aguardando o próximo capítulo da continuação da sua ida para Baltimore!

abs
Ivan Luís

My said...

Você é muito corajosa, Du!!!
Conta mais, tá super interessante....
bjs
My

Rey said...

Duília,
Vou ler teu livro... olhar pelo meu novo telescópio... e pensando na sua trajetória profissional (rsrs).

Também estou aguardando o próximo capítulo!
Bj e abç,
Rey

Liques said...

A pior coisa do mundo é você querer trabalhar só para viver e ter medo viver só para trabalhar! E o seu caso deu certo não é Du? Também aguardo o proximo capitulo!

o/

Samuel Liques